Notícias

5 Mitos sobre Vinhos

12-04-2018

5 Mitos sobre Vinhos

Rolha de Screw Cap = Vinho Barato

A grande maioria dos vinhos que consumimos, seguindo a tradição, apresentam as garrafas de vinho fechadas com rolhas de cortiça. No entanto as indicações de novos mercados (mercados escandinavos, australiano, neozelandês) para o uso screw cap (rolhas de enroscar), tem vindo a aumentar o uso desta opção para fechar o vinho. A percepção de que os vinhos fechados a screw cap seriam baratos e não tão bons apoderou-se dos consumidores não habituados ao screw cap. Esta percepção encontra-se errada. O screw cap apresenta uma maior capacidade de separação do ar do vinhos do que as rolhas tradicionais, contribuindo para a preservação dos aromas e sabores do vinho,  não sendo sinónimo de vinho fraco ou barato. A percepção errada pode vir do facto de o screw cap ser uma opção mais indicada para vinhos mais jovens, e portanto mais fáceis de consumir e não tão adequados para guardar.

Uva Tinta serve apenas para Vinhos Tintos

Esta noção é errada. É possível fazer vinhos ou espumante brancos a partir de uvas tintas. O método para fazer um branco de uvas tintas implica a separação da casca da uva no momento da fermentação, dado que é a casca da uva que concede a cor ao vinho. Este método é bastante utilizado na produção de espumantes (veja-se o exemplo dos nossos Espumantes Baga – uma casta tinta). Como curiosidade, pode dar-se o caso de usar uvas brancas para vinhos tintos, com o propósito de suavizar os taninos e a acidez do vinho, e conceder aroma.

A acompanhar peixe apenas Vinhos Brancos

Grande parte dos consumidores preferem acompanhar pratos de peixe com um vinho branco. A combinação de vinho tinto (com taninos mais agressivos) com um prato de peixe pode resultar num sabor desagradável, até possivelmente metálico. No entanto, é possível realizar combinações agradáveis entre pratos de peixe e vinhos tintos, uma das quais perfeitamente enquadrável dentro da gastronomia portuguesa – o bacalhau. Com pratos de peixes mais untuosos e encorpados como o salmão ou bacalhau é possível realizar excelentes harmonizações com vinhos tintos de taninos mais suaves.

Vinhos Doces levam açúcar

É comum o pensamento de que vinhos doces como o Vinho do Porto e o Vinho de Missa, em função do seu perfil mais adocicado e suave, levem açúcares durante a sua elaboração. A verdade é que esta lógica é a incorrecta. A doçura do aroma e sabor proveniente dos vinhos doces resulta da própria uva, do açúcar residual – açúcar natural que não foi transformado durante a fermentação.

Apenas encontramos taninos nos Vinhos Tintos

A lógica seria que os taninos apenas estivessem presentes nos vinhos tintos, em virtude de a casca de uva concentrar grande parte dos taninos. Desta forma os vinhos brancos não deveriam ter taninos, dado que a sua fermentação ocorre separada das cascas. A verdade é que o vinhos brancos também possuem taninos, ainda que numa dimensão menor do que os vinhos tintos. O engaço, as sementes e a própria uva contém taninos, podendo providenciar os taninos a vinhos brancos.

notícias
em
destaque

Os Espumantes das Caves Primavera

08-05-2018

Os Espumantes das Caves Primavera A história dos espumantes na...

Ler mais

3 dicas para apreciar um copo de Espumante

06-07-2017

Apreciar um copo de espumante pode ser melhorado por muitas...

Ler mais